quarta-feira, 4 de abril de 2018

Relógio que atrasa, não adianta.


Precisão, este é o cerne dessa publicação.

Há um dito popular que coloca a seguinte reflexão 
“a diferença entre o remédio e o veneno está na dosagem”
...mas...até que ponto conseguimos aprender com a sabedoria popular???

Será que alguns, ou muitos, de nossos problemas só existem por que na maioria das situações sabemos a atitude a ser tomada, mas não sabemos a dose a ser aplicada?

Reflitamos quantas vezes em uma conversa coerente exageramos nas palavras e acabamos por magoar o outro, ou quantas vezes deixamos de ser claros em uma explicação por não conseguirmos abertura para expor o que exatamente gostaríamos, ou seja, 
há que se ter sabedoria para se fazer entender.
E se levarmos essa reflexão para nossas atitudes no dia a dia, como estamos nos saindo?

Esta postagem não visa ensinar ninguém a santidade, nem tão pouco a ser conivente com os erros alheios, mas sim possibilitar uma perspectiva diferente para o auxílio das pessoas.

Ao deixar nossos desejos de lado começamos a entender os outros, e entendendo os outros nos entendemos. 
Aceitar que não somos perfeitos nos coloca em uma postura de respeito pelo nosso Ser, aceitar que não sabemos tudo nos coloca em uma postura de aprendizagem. 

Assim quebramos nossa arrogância para com a humanidade, e sim, quando aprendemos a respeitar as limitações e diferenças de cada pessoa aprendemos a auxiliar e ser auxiliado por cada um, e conseguimos resgatar nossa própria humanidade.


Mais informações sobre o funcionamento do Instituto União dos Templários em:

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A Integridade

Realmente somos íntegros?

Para o entendimento da pergunta temos antes entender a profundidade do termo integridade. Segundo o dicionário integridade é o
estado ou característica daquilo que está inteiro, que não sofreu qualquer diminuição, é a plenitude ou a inteireza, também pode ser considerado aquilo que se apresenta ileso e sim, INATO.

Repito a pergunta para que agora, novamente, faça uma reflexão:

Realmente somos ÍNTEGROS?



Estamos com todas as características que dispúnhamos no início de tudo, no princípio, quando fomos concebidos. Estas características ainda são o que nos direciona?

O ponto em que quero lhe provocar a reflexão é o seguinte: antes de tomarmos nossas decisões a quem questionamos? Nosso Íntimo, nosso Ser, nosso Real Ser, nossa consciência...ou...questionamos nossos desejos e pensamentos, nossas paixões, nossos sonhos.
Caso sinta dentro uma necessidade de despertar há que se parar se seguir pensamentos e sentimentos, parar de sonhar, há que se atentar à intuição, direcionar a atenção para dentro, entrar no estado Boddhisatwa onde não há pensamentos nem sentimentos, somos apenas força de atuação orientado pelo Ser através da Intuição.
Se formos uma pessoa no trabalho, um com os amigos, outro com a família, um diferente nos momentos de lazer e um que diverge de todos os anteriores quando no transito, quem somos realmente? A preguiça, a raiva, a impaciência, a arrogância, a caridade, o(a) bom(boa) moço(a) ou o(a) vilão(vilã)?

Consegue perceber o quão afastado podemos estar da nossa própria natureza, o quanto nossas reações, nossos desejos, nossos sonhos estão apenas por atrapalhar e justificar os problemas que temos com nossa própria integridade e com sermos quem devemos ser?


Este post não tem o objetivo de doutrinar ninguém, para tanto não é nele que vai encontrar a resposta, muito menos vou conceituar o que é integridade, o objetivo deste post é lhe provocar uma reflexão e que nesta encontre, por você mesmo, o que é integridade e o que precisa para se aproximar da integridade de seu Ser.



Outro dia ouvi:

"Quem olha para fora sonha...quem olha para dentro desperta."

Mais informações sobre o funcionamento do Instituto União dos Templários em:
www.institutouniaodostemplarios.org

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Quem são os Templários


Atualmente muita confusão existe quanto ao objetivo da Templaria, pois a historia contada alterou, e muito, os fatos, tentando tecer uma cortina sob olhares religiosos na essência dos Templários.


Esta Ordem de Cavaleiros tem sua essência forjada muito antes do que as histórias que os colocaram em evidência.
O objetivo dos Templários é encontrar pessoas dispostas a entender e dedicar sua existência a um proposito muito mais valoroso que sua própria vida.
A principal batalha que enfrentamos é levar ao máximo de pessoas um conhecimento primordial, o conhecimento do princípio de tudo, o aperfeiçoamento constante do que conhecemos como Alma, aquilo que nos anima que nos dá vida, que nos ensina o que é o Amor.



Este conhecimento é mantido e protegido, sempre foi e sempre será passado de lábios a ouvidos, esta é a missão que os Corações Templários carregam, pois para 
além de nossos objetivos e mais forte que a vocação, existe o que mantem o coração flamejante, existe o amor,
pois os que amam o que fazem tem em cada batida do coração a marca do ritmo de seu avanço.


Já avançamos por todo o mundo que conhecemos, trilhamos caminho por entre vales e montanhas, enfrentamos o frio da neve e os extremos de desertos, avançamos por mares e oceanos, desbravamos novas culturas povos e florestas, passamos o conhecimento e nos encontramos por diversas e diversas existências para manter viva e livre nossa essência, e assim continuaremos a fazer, pois não fazemos pela fama, nem pelo reconhecimento, fazemos por que amamos, fazemos por que é o que temos em nossos corações.


Assim o Instituto União dos Templários vem convidar a todos de boa vontade para que conheçam mais profundamente o nosso trabalho.
O Instituto é um Templo Escola que se mantem apenas com doações voluntaria, pois não concordamos com o comercio de Conhecimento, Luz, Amor e Energia.
Não apenas preservamos os rituais com as plantas de Sabedoria que a Templaria sempre utilizou e preservou, mas estamos oferecendo a oportunidade, nos dias atuais, de através deles as pessoas se conhecerem, entenderem o que são, descobrirem sua força, encontrarem sua divindade interior particular, terem acesso ao seu Ser e praticarem a Real Espiritualidade lado a lado com sua Alma Gêmea.


para maiores informações acesse:
 www.institutouniaodostemplarios.org

"...por ser estreita a fenda – eu não declino.
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou o mestre de meu destino;
Eu sou capitão de minha alma.”

                                                   William Ernest Henley

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Ritmo, Foco e Atenção



A busca e o trabalho com nosso Íntimo é simples
porém simplicidade e facilidade não são sinônimas, assim a jornada é instante a instante. Como em uma marcha damos um ritmo à jornada, mantendo o ritmo temos o avanço.

Simples é perceber que para colocar algo em movimento gastasse mais energia que para mantê-lo em movimento, assim, o ritmo nos ensina a usar a força com inteligência. Em uma batalha cada movimento da espada é a sequencia do anterior e a preparação para o golpe seguinte, assim como uma dança tem a fluidez dos passos ditada pelo ritmo da melodia.


A recordação de nosso Ser está em cada respiração
pois a manutenção da vida está em cada inspirar. Nosso objetivo assim como nossa vida deve ser renovado a cada inspiração, não se permite perder o foco, não se permite esquecer o que está defendendo, atenção é o que temos de mais natural, o mais simples com atenção é aprender, o ritmo nos dá tenacidade, o foco nos dá a direção.


Assim obtemos resultados no trabalho, dia a dia, momento a momento...instante a instante.


Mais informações sobre o funcionamento do Instituto União dos Templários em:
www.institutouniaodostemplarios.org

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

A Verdade, a Ética e a Liberdade


A única verdade que temos é aquilo que vivenciamos e presenciamos em sua totalidade, porém mesmo essa é passível de adulteração pela mente.


Nossa mente trabalha, assim como um computador, por associação, ou seja, ela tenta responder a questões atuais baseada em fatos já vivenciados ou conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, ela não consegue ir além daquilo que nós mesmos a apresentamos, então ficamos presos ao que já conhecemos ou achamos conhecer. Assim sendo quanto mais estamos presos em pensamentos mais bloqueamos a verdade de vir à tona. 
A mente é a prisão do coração.


Quando com a mente passiva conseguimos enxergar com o coração, esta é a intuição, uma linguagem muito própria, livre e sem conceitos, além do bem e do mal, a própria expressão da ética e da liberdade. O coração é o caminho para a verdade, é onde podemos nos ligar com nossa própria realidade, nele escapamos dos conhecimentos adquiridos que tanto repetimos e repetimos sem saber ao menos sua origem. Já a mente é o oposto, uma mente turbulenta nos liga ao que temos de mais material, nos rouba a espiritualidade, nos prende em nossos conceitos e falsas verdades, nos levanta e derruba a seu bel-prazer e nos priva da realidade.


O trabalho está em quebrarmos as estruturas que a mente criou, reflitamos em que estão fundadas nossas verdades, se temos como prumo o coração, ou se continuamos a construir estruturas baseadas nas fundações já corroídas da mente. Por mais que escondamos a verdade de nós mesmos esta é e sempre será, aquilo que precisa de um esforço e de energia para continuar sendo não é a verdade, pois a verdade simplesmente é.
Assim como o coração a verdade nos liga a nossa origem, ao Ser. 


Mais informações sobre o funcionamento do Instituto União dos Templários em:
www.institutouniaodostemplarios.org

segunda-feira, 31 de julho de 2017

O Espiritual e o Material

Assim como é o Físico é o Espiritual.
Muitos acreditam conseguir levar uma “vida espiritual” separadamente de sua “vida física”, porém  tamanho é o equivoco pois ambas são a mesma, ambas são a VIDA, logo aprendemos a aprender, há que se saber levar o espiritual e o físico em equilíbrio, ambos os mundos devem estar em harmonia.


Quando em mundos mais sensíveis conseguimos perceber muito da origem de nossos problemas físicos, unindo essas percepções ao nosso coração temos acesso ao que fazer, é assim que se encontra as respostas, é assim que aprendemos e seguimos em frente. Da mesma maneira ocorre o inverso. Se nos colocamos em um estado de atenção em nosso dia a dia conseguimos ter percepções que saltam aos olhos, tudo que ocorre em nosso dia está intimamente ligado ao nosso espiritual, em todas as situações, das mais simples e suaves as mais complexas e também nas mais duras há muito que se aprender sobre espiritualidade.


A Ideia de que o espiritual e o físico são distintos é por demais religiosa, e não há porque confundir religiosidade com espiritualidade. A Espiritualidade precede a existência, sempre existiu e sempre existirá, não depende da vontade dos Homens e Mulheres. A Religiosidade é precedida da existência, esta é criação e depende exclusivamente de Homens e Mulheres para a sua manutenção.

A religiosidade é como uma veste, podemos trocá-la quando e quantas vezes acharmos necessário para a "satisfação pessoal", podemos nos esforçar para ser, mas em realidade através dela nunca seremos. 

A Espiritualidade nos liga a nossa essência, ao  nosso Ser, nos faz entender nossa origem, não trocamos nem mudamos, apenas SOMOS.


Mais informações sobre o funcionamento do Instituto União dos Templários em:

segunda-feira, 17 de julho de 2017

As Plantas de Sabedoria

Em toda a história da Humanidade podemos observar o uso de plantas para a cura de diversos males, desde febres e simples dores estomacais até preparados que vão muito além de curas aos problemas físicos. Há registros de diversas culturas utilizando de bebidas, preparadas a partir de plantas, para rituais espirituais.

Hoje essas bebidas recebem a denominação de Enteógenas (En=dentro/interno;   Theos=Deus /Divindade;   Genos=Gerador), pois possuem substancias potencializadoras das capacidades de percepção, ou seja, substancia que quando utilizadas de maneira correta e responsável nos colocam em um elevado estado de consciência, possibilitando a cada pessoa a aproximação com sua Divindade Interior, o Ser.

Atualmente a mais conhecida e disseminada entre pessoas que buscam das Plantas de Sabedoria para o auxilio na espiritualidade é a Ayahuasca, uma bebida de natureza xamânica, nativa da região amazônica. A Ayahuasca é concebida a partir de duas plantas, de um cipó denominado Jagube (Banisteriópsis caapi),e das folhas do arbusto da popularmente conhecida Chacrona (Psychotria viridis). 

Responsável pelo relaxamento, Jagube nos ensina como sair das tensões, colocando o corpo físico no estado natural e permitindo assim que a energia flua de maneira livre e contínua. Já a Chacrona tem como função nos ensinar a concentração, colocando a mente em repouso nos ensina a afastar os pensamentos e viver o instante. Com o corpo físico relaxado, a mente silenciada e no momento, aprendemos a enxergar, ouvir, sentir e agir guiados apenas pelo coração, neste estão todas as respostas de que precisamos, respostas as quais a mente é incapaz de compreender, pois o coração é a ligação com nosso intimo, é através dele que podemos compreender nosso Ser.

Esta é a Espiritualidade, é o encontro que cada ser humano deverá ter com seu íntimo, com o que é Real, com tudo aquilo que vai além do que podemos enxergar com os olhos, do que se pode mensurar com  a mente. A Real Espiritualidade está para todos, independe de cor ou credo, classes sociais ou intelectos, não distingue idade nem impõe culpa, não está em livro e vai muito além do que estas poucas palavras. A Real Espiritualidade está no coração de cada um, basta apenas voltar atenção para dentro e ouvir o que nosso coração tanto tem a nos ensinar.


Mais informações sobre o funcionamento do Instituto União dos Templários em:
www.institutouniaodostemplarios.org